Powered by Spearhead Software Labs Joomla Facebook Like Button

Jornal O Manduco reeditado 90 anos depois em versão fac-similada


O jornal regional  'O Manduco' vai ser reeditado pela livraria Pedro Cardoso, nome do seu fundador, em versão fac-similada mais de 90 anos depois do seu desaparecimento.

 

A apresentação da nova versão do jornal, considerado um "clássico" em Cabo Verde, acontece hoje na cidade da Praia na livraria de cujo seu fundador é patrono'

O jornal 'O Manduco', fundado pelo jornalista, professor e escritor Pedro Cardoso (1883 - 1942), que foi seu director e editor, foi publicado entre 1923 e 1924 na ilha cabo-verdiana do Fogo.

Durante a sua existência, o jornal, que defendia os interesses de Cabo Verde, então província portuguesa, publicou 14 números bimensais, sobre os mais variados temas que afligiam o arquipélago na época.

Segundo o antropólogo cabo-verdiano Manuel Brito Semedo, a reedição de 'O Manduco' "representa o sacudir do pó do tempo e das brumas do esquecimento acumulados sobre o jornal, restituindo um pouco do brilho de uma época rica e importante para o percurso de Cabo Verde".

Referindo que o jornal tinha "um forte pendor literário" e com uma sessão literária, Brito-Semedo, que mantém o blogue "Na esquina do Tempo", indicou que além de Pedro Cardoso o jornal era escrito pelos também poetas cabo-verdianos Eugénio Tavares e José Lopes.

"De destacar que todos os nomes sonantes das letras cabo-verdianas da época passaram por este jornal, tendo sido a maior parte deles colaboradores assíduos", continuou o antropólogo no seu blogue.

O jornal era composto por quatro páginas A3, composto e impresso na Imprensa Nacional de Cabo Verde e saía duas vezes por mês.

Publicado no Jornal on-line Expressodas ilhas em 31-05-2016.